O JOVEM CRISTÃO E O PERIGO DAS NOVAS TECNOLOGIAS

0
529

O advento da internet marcou uma verdadeira revolução, trazendo consigo uma ampla gama de benefícios, como conectividade instantânea, redes sociais e a maior biblioteca do mundo, repleta de livros, jornais, catálogos, fotos e vídeos sobre praticamente qualquer assunto. No entanto, juntamente com esses avanços tecnológicos. O Livro do profeta Daniel já antecipava esse grande avanço em seus dias, quando diz: “E o conhecimento se multiplicará” (Dn 12.4b).

Segundo o relatório Digital in 2020, há 150.4 milhões de internautas no Brasil, sendo o 5º país mais conectado do mundo. De acordo com a pesquisa, o percentual de brasileiros conectados à internet aumentou de para 63,3%, para 71% nos últimos anos.

Dentro desse crescimento, destacamos as redes sociais, que são um verdadeiro fenômeno. Seu impacto é perceptível nos relacionamentos pessoais, na política e no ministério de jovens. Seu alcance é demonstrado pelos recentes dados sobre a quantidade de pessoas conectadas nas mídias sociais: Facebook (2,96 bilhões), Whatsapp (2 bilhões), TikTok (1,05 Bilhão), Youtube (2,51 bilhão), Instagram (2 bilhões).

Os benefícios destas mídias para o jovem cristão são inegáveis: promovem a comunicação instantânea e barata com pessoas de diversas partes do mundo (inclusive com os missionários), a propagação do evangelho em lugares de difícil acesso, auxiliam em pesquisas e disponibilizam ferramentas que facilitam as atividades do cotidiano do cristão.

No entanto, os jovens cristãos devem estar atentos diante dos grandes perigos que essas novas tecnologias podem oferecer à juventude e à igreja dos dias atuais, como a pornografia, problemas relacionais e a dependência tecnológica.

  • Pornografia

A pornografia está presente na humanidade desde os períodos mais remotos da sociedade, de uma forma ou de outra. No entanto, seu conteúdo, modo de acesso e o consumo mudaram radicalmente nas últimas décadas com o avanço da internet e demais tecnologias. O que antes era restrito e distante do público geral, agora, com um simples clique do mouse ou toque no celular, pode levar as pessoas ao terrível mundo da pornografia virtual.

Em um artigo, Morgan Bennett (2013), que lidera uma pesquisa no Instituto Witherspoon, afirma que a pornografia é uma nova “droga”. Nesse mesmo artigo, William M. Struthers, professor de psicologia no Wheaton College, explica como a pornografia funciona: “Através do mesmo circuito neural, tem os mesmos efeitos com relação à tolerância e abstinência e tem cada outra marca registrada de um vício”. A Bíblia já nos adverte a respeito do perigo de todo tipo de imoralidade “Os quais se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza”, (Ef 4.19)

  • Problemas de relacionamentos sociais:

É inquestionável que a internet nos trouxe diversos benefícios em várias áreas, incluindo o exercício dos direitos individuais, com destaque para a liberdade de expressão e o acesso à informação instantânea. No âmbito mundial, grandes movimentos sociais começaram no mundo virtual e se expandiram para o mundo real, como as manifestações de 2013 no Brasil e os intensos movimentos sociais no mundo árabe, que mudaram o rumo de nações. No entanto, é necessário sermos cautelosos em relação ao uso dessas tecnologias.

Alguns debates têm causado confusão no âmbito eclesiástico, com pessoas protegidas pelo anonimato ou escondidas atrás das telas gerando conflitos, discussões infrutíferas, ataques a lideranças e problemas nos relacionamentos. O apóstolo Paulo, em sua epístola pastoral a Tito, já advertia: “Evita discussões insensatas, genealogias, contendas e debates sobre a lei, pois não têm utilidade e são fúteis” (Tito 3:9).

  • Dependência tecnológica:

A dependência das mídias sociais tem sido classificada como uma doença psíquica. Em 1995, o psiquiatra norte-americano Ivan Goldberg publicou um artigo descrevendo um problema recentemente descoberto e chamado de IAD (Internet Addiction Disorder, ou Transtorno de Dependência da Internet).

Os sintomas são evidenciados pela necessidade constante de estar sempre conectado. O usuário dependente desenvolve uma fixação pelo celular, verificando constantemente mensagens e sentindo irritação quando não consegue se conectar. Esse quadro pode evoluir para problemas graves, como depressão e ansiedade.

Conclusão

O grande desafio do jovem cristão nos últimos dias é conectar-se com a modernidade, usufruindo das ferramentas disponíveis que irão contribuir para o seu crescimento espiritual, e a propagação da mensagem do Evangelho, sem negligenciar sua vida devocional com Deus, e familiar. Não esquecendo suas prioridades como os apóstolos em pleno crescimento da igreja primitiva: “E quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra” (At 6.4).

Pr. José Chagas é casado com Jaciara Sousaé pastor auxiliar da Igreja Assembleia de Deus em São Luís, coordenador geral da UMADESL, Bacharel em Teologia pela FATEH, Pós-Graduado em Teologia Bíblica pela Mackenzie-SP e mestrando em Teologia pelo Seminário Cristão do Norte. Analista de Sistema na UFMA, graduado em Tecnologia da Informação e Pós-graduado em Analise e Projeto de Sistema na Universidade Federal do Maranhão e graduando em Direito.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here